1 de janeiro de 2014

COMO SABER SE VOCÊ É ESPIRITUAL OU RELIGIOSO



    
Espiritualidade é tudo que é capaz de produzir na pessoa uma mudança de pensamento, atitudes e conceitos, que a coloca em um novo rumo e lhe oferece um novo sentido para a vida. Quando a pessoa se converte ao Senhor Jesus e recebe o novo nascimento, recebe, também, o selo do Espírito Santo, que é a  garantia da segurança de sua salvação.
    
A espiritualidade cristã não pode ser medida por um ato isolado, mas ela é fruto de uma prática habitual de obediência à Palavra de Deus. O Apóstolo Paulo diz, aos cristãos de 'Éfesos: " E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito." (Efésios 5:18)

Isto significa que os cristãos são selados com o Espirito Santo, quando crêem e O buscam, de todo o coração, contudo, nem todos sào cheios do Espírito Santo, porque isso depende da entrega pessoal, em submeter- se a vontade de Deus e permanecer firme. Há um grande engano ao afirmar que: "Uma vez salvo, salvo para sempre!"
  
Observe, no texto acima, que o tempo verbal utilizado "enchei-vos" exorta ao cristão a continuar sendo cheio do Espírito Santo. Você identifica, facilmente, quando a pessoa esta controlada pelo vinho, por exemplo, uma vez que ela fica bêbada, a fala fica enrolada, o andar é cambaleante e sem equilíbrio e a falta de capacidade para tomar decisões,   demonstram claramente que ela está dominada pelo álcool.
   
Por outro lado, a pessoa que é verdadeiramente nascida de novo, se deixa dominar pelo Espírito Santo e, consequentemente, o seu caráter, a sua maneira sadia de falar e as suas atitudes sempre fundamentadas na Palavra de Deus, irão revelar as suas  características, o que a Bíblia chama de "fruto do Espirito".
   
A parábola do Bom Samaritano (Lucas 10:25-37) exemplifica muito bem o que nós estamos falando: o texto bíblico fala de um homem judeu que veio a cair em mãos de salteadores, na antiga estrada que ligava Jerusalém a Jericó, que além de roubarem todos os seus bens, lhe causaram muitos ferimentos, deixando-o semimorto.
   
Casualmente um sacerdote (autoridade religiosa) descia por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Logo a seguir,  um levita (consagrado por Deus, para cuidar de tudo que era relacionado ao tabernáculo ou ao templo sagrado) passava pelo local e, vendo-o caído, nada fez, e seguiu em frente.
   
Certo Samaritano, que seguia o seu caminho, vendo-o, compadeceu-se dele, passando a cuidar dos seus ferimentos, e levou-o até uma hospedaria, pedindo ao hospedeiro que cuidasse dele, responsabilizando-se, ainda, por todas as despesas decorrentes.
    
Há que se ressaltar que os samaritanos eram descendentes de colonos  gentios que os reis assírios haviam enviado para a Palestina, após a queda de Samaria. Eram pessoas desprezadas pelos judeus por causa do seu sangue meio-gentio e em face da sua religião paralela, que tinha como base o templo rival que construíram no monte Gerizim, em contra-ponto com o templo de  Jerusalém.
    
Contrariando a todos os preconceitos, dogmas e doutrinas existentes, a época, esse "bom samaritano", apesar de ser considerado como inimigo, foi o único dentre os transeuntes daquela pedregosa e sinuosa estrada, que se dispôs a estender a mão ao seu próximo.
     
Plagiando a parábola, eu pergunto: qual desses três homens demonstrou, ser, de fato, uma pessoa espiritual?

Certamente a sua resposta será: o samaritano!

Por que? Porque a sua atitude revelou o Espírito que controlava a sua vida!

Deus abençoe, em nome do Senhor Jesus.


Um comentário:

  1. Puxa vida eh realmente esclarecedor, obrigado bispo.

    ResponderExcluir